Como lidar com a situação em que apenas uma das crianças na família apresenta sobrepeso? A grande dificuldade dos pais, nesses casos, é encontrar um equilíbrio que possa atender às diferentes necessidades dos filhos, evitando até mesmo uma possível inimizade entre irmãos que, de um lado ou de outro, podem se sentir prejudicados. Para isso, há uma solução simples: ofereça uma dieta balanceada a todos. Uma casa com escolhas alimentares inteligentes irá beneficiar não só as crianças gordinhas, mas também os irmãos magros e inclusive os pais.

Em uma família com crianças de biotipos tão diferentes, a primeira dica é uma investigação detalhada das causas da obesidade de uma das crianças. Caso a solução apontada por profissionais seja uma dieta, é importante tomar o cuidado de criar uma conscientização nos moradores da casa de que uma alimentação balanceada é boa para todos. Biscoitos recheados, bolos industrializados, sucos de caixinha e doces em geral são prejudiciais até para quem é magro.

“É importante que fique claro que a mudança na alimentação da família é um benefício, um ganho e que não seja visto como uma proibição. O discurso dos pais deve ir nessa linha para não criar inimizade entre os filhos. A criança obesa não pode ser responsabilizada pela inexistência de guloseimas em casa. Elas não estão na despensa simplesmente por serem prejudiciais para gordos e magros”, declara Adriana Daquer, psicóloga do Grupo de Obesidade e Transtornos Alimentares (GOTA) do Instituto Estadual de Diabetes e Endocrinologia Luiz Capriglione (IEDE), da UFRJ.

Outro ponto apontado pela psicóloga é a respeito da restrição alimentar em crianças que não têm indicação médica para isso: “Uma criança com muitas proibições pode exagerar em doces e salgados em festas ou nos fins de semana. O ideal é mostrar a elas que as boas escolhas devem ser feitas a todo o momento, mas que nada é proibido desde que consumido com moderação”.

Ela ressalta ainda que mesmo nos fins de semanas a casa precisa ter alimentos saudáveis com preparos interessantes para as crianças. “A pizza, o fast food e outras guloseimas não precisam fazer parte dos programas dos fins de semana. Há uma crença de que crianças não gostam de legumes e verduras, o que não é verdade desde que esses alimentos sejam apresentados de uma forma atrativa e divertida”, conclui Adriana.