“Criança gosta de brincar.” A afirmação do professor de Educação Física Marcio Atalla pode parecer óbvia, mas tem sido esquecida em tempos de internet e redes sociais. Cada vez mais conectada, a criançada está se movimentando cada vez menos, fazendo menos exercícios físicos e interagindo menos socialmente na vida real. Em entrevista ao portal OIN, ele falou sobre a mudança no estilo de vida das famílias nos últimos anos e deu dicas objetivas de como os pais podem fazer pequenas alterações na rotina e proporcionar uma infância mais saudável para seus filhos.

OIN – No Seminário Internacional de Mães, realizado em maio, em São Paulo, você falou sobre o tema “Família em Movimento”. Quais foram os principais pontos abordados na sua palestra?

MARCIO ATALLA – Conversamos principalmente sobre o estilo de vida que levamos atualmente, com muito pouco movimento. No passado, a gente se movimentava sem pensar. Hoje, as crianças ficam muito tempo em tablets. Hoje, temos muito mais comida disponível e nem sempre de qualidade. Na minha apresentação, eu disse que é muito importante que os pais intervenham no estilo de vida da criança, incentivando a prática de atividade física e não terceirizando isso para a escola. Que ajudem, participem.

OIN – A maioria das mães tem pouco tempo livre para se exercitar. Como resolver essa questão? 

ATALLA – A gente resolve de algumas maneiras. A primeira delas é tentando tentar. Já que não vai ter tempo de fazer uma atividade programada, de ir à academia ou escolher uma atividade física preferida, deve incorporar movimento no seu dia a dia. Se mora em prédio, deve tentar subir escadas. Se mora em casa e trabalha, deve tentar acumular mais passos. Tudo isso é fundamental. Nosso corpo reconhece movimento e não necessariamente a atividade física na academia. Então, devemos nos tornar mais ativos. E no fim de semana é importante reservar pelo menos meia hora, uma hora, no sábado, ou sábado e domingo, ou no domingo, para lazer com movimento com o filho. Além de se exercitar, os pais estão dando o exemplo. E isso é fundamental para a criança.

OIN – Pesquisa recente realizada na Europa mostra que a cintura das crianças vem aumentando de tamanho proporcionalmente ao tempo que passam assistindo à televisão ou diante de computadores, smartphones e tablets. Como incentivar as famílias a se movimentarem e a sair da frente das telas?

ATALLA – Obviamente, a relação é direta. Maior o tempo de tela, maior a circunferência abdominal, isso é quase uma regra. E hoje as crianças, por exemplo, no Brasil, passam quase seis horas por dia na frente de uma tela. O ideal é limitar esse tempo, e não só limitar, porque a proibição é ruim, mas incentivar bons hábitos, outros tipos de brincadeiras. Assim não é uma proibição, um castigo, ela não estar na frente da tela. Mas vai acabar dividindo o tempo com outras tarefas tão prazerosas quanto essa.

OIN – Atividades lúdicas que os pais podem fazer com as crianças têm o efeito de exercício?

ATALLA – Brincadeiras, passeios, tudo que envolve família, amigos, isso tudo é muito divertido e a criança acaba fazendo muito movimento. É uma excelente maneira. Lembrando que isso acaba sendo mais viável no fim de semana, mas é superimportante. E sempre que a criança brinca é sempre com intensidade alta, é da criança se mexer muito, ser explosiva, e isso tem um superefeito, como se fosse um exercício. A criança tem que brincar e se divertir mesmo.

OIN – Estimular as crianças a participar das atividades domésticas, respeitando os limites e capacidades, é uma boa forma de reduzir o sedentarismo?

ATALLA – Sim. É uma forma de a criança se manter ativa. Não é a maneira mais divertida, mas por outro lado você vai criando nela um senso de coletividade, de participação. Você tem outros valores desenvolvidos e não deixa de fazer com que essa criança se movimente.

OIN – Quais são as melhores estratégias ou orientações para aumentar a prática de atividades físicas de crianças e adolescentes? E no ambiente escolar?

ATALLA – Não existe uma melhor estratégia. Existe você estimular a escola ser uma escola que dê oportunidades para a criança se movimentar; que valorize isso; que além da aula de educação física ainda proporcione e estimule movimento. Que dentro de casa os pais incentivem outras brincadeiras; que limitem o tempo de tela; tenham momentos de lazer juntos; que essas crianças tenham grupos de amigos; que a diversão não seja na frente de uma tela, mas com brincadeiras. Então, é um conjunto de estratégias, tanto na escola quanto em casa. Criança gosta de brincar. Então, quanto mais prazeroso, melhor.