O aleitamento materno traz uma série de benefícios para a mãe e o bebê. Por exemplo, a mulher que amamenta perde mais rapidamente o peso que ganhou na gestação e aumenta a sua proteção contra câncer de mama e ovários. O leite humano tem os nutrientes essenciais para o desenvolvimento do recém-nascido, sem falar que a amamentação estimula a relação afetiva entre a mãe e o bebê. Com o tema "Amamentação: uma vit ra toda a vida!", a Aliança Mundial para Ação em Aleitamento Materno (WABA, na sigla em inglês) promove de 1° a 7 de agosto A Semana Mundial de Aleitamento Materno, campanha que reforça a importância da amamentação para a redução da mortalidade infantil, um dos compromissos assumidos pelos países integrantes da ONU no projeto Objetivos do Milênio (ODM).

O leite materno é indispensável ao bebê até completar 2 anos de idade ou mais, lembram os pediatras. Tanto que, nos primeiros seis meses, ele secisa do peito. Não necessita de água, chás, leites artificiais ou qualquer outro alimento. Isso porque o leite materno mata a sede, a fome e tem todos os nutrientes para o bebê se desenvolver com saude, informa a Sociedade Brasileira de Pediatria(www.sbp.com.br) . E a amamentação estimula o crescimento de dentes fortes e bonitos, o desenvolvimento da fala e a respiração correta. O bebê também fica mais protegido contra infecções respirats, alergias e diarreia, colesterol alto, diabetes e obesidade.

Vale lembrar que o leite materno nunca é fraco. Nos primeiros dias, o que sai do peito é o colostro, líquido nutritivo e protetor. Chupetas, bicos e mamadeiras podem levar o bebê a rejeitar o peito da mãe, além de causar problemas nos dentes, na fala e na respiração, alertam pediatras.