Modalidade trabalha todos os mlos e favorece a socialização

"A, e, i, o, u/ U, o, i, e, a/ A, e, i, o, u/ Vem, criança, vem jogar/Capoeira é harmonia/É amor no coração/Capoeira tem criança/O futuro da nação." Acompanhada pelo som do berimbau e das palminhas dos alunos, a cantiga que embala as rodas de capoeira infantil não poderia ser mais verdadeira. Com índices que apontam que as pras gerações terão mais complicações decorrentes da obesidade se medidas coletivas não forem adotadas agora, essa atividade é uma das mais vantajosas para estimular a prática de atividades físicas entre crianças e adolescentes. Na opinião de especialistas, seu caráter lo permite que seja praticada a partir dos 3 anos de idade. Outro facilitador para as famílias é que ela é oferecida dentro e fora do contexto escolar.

"A capoeira favorece as crianças em vários aspectos. Além de trabalhar a coordenação motora, já que elas são estimuladas a conjugar os movimentos com a ma, é uma atividade que se pratica em grupo, na roda. Isso favorece a socialização, tão importante num momento em que vemos crianças cada vez mais egoístas", observa o pediatra Ricardo Barros, responsável pelo Grupo Técnico de Medicina Desportiva da Sociedade Brasileira de Pediatria.

Embora seja difícil quantificar o gasto energético por aula, o médico afirma que ele é considerável. Além disso, todos os grupos musculares são trabalhados. Mas é preciso que, como qualquer outra atividade física, seja praticada de duas a três vezes por semana.

"A capoeira exige bastante de braços, pernas e abd. Basta observarmos o corpo de um capoeirista adulto. Ele é sempre bem definido", afirma Barros, destacando outra vantagem. "Ela não costuma causar prejuízos para as articulações. Diferentemente do futebol, por exemplo, nunca atendi uma criança com uma lesão ocorrida numa aula de capoeira".

O médico valoriza ainda o papel do mestre de capoeira na condução das turmas. Segundo ele, como exige muita agilidade, a modalidade pode assustar os alunos com excesso de peso, que, normalmente, são mais lentos:

"A tendência da criança mais pesada é evitar os movimentos. O professor tem que ter sensibilidade para incluir todos os alunos. Mas, em geral, noto que os professores são admirados. As crianças querem copiar seus movimentos".

Quer saber mais sobre os benefícios da prática de atividade física? Assista ao epis Nutri Ventures "O caminho se faz patinando", de no 8.