Crianças menores de 3 anos que dormem pouco tendem a comer além do necessário

Estudo recente publicado na edição de março da “International Jornal of Obesity” concluiu que crianças menores de 3 anos de idade que dormem pouco tendem a ingerir mais calorias ao longo do dia, o que pode contribuir para o ganho de peso em longo prazo. O trabalho, conduzido por Abi Fisher, da University College London, acompanhou 1.303 famílias e observou que as crianças que dormiam menos de dez horas por dia consumiam cerca de 50 calorias a mais do que aquelas que dormiam entre 11 e 12 horas.

Embora esse estudo não esclareça os mecanismos envolvidos, algumas hipóteses são aceitas pelos pesquisadores do sono. Segundo José Hugo de Lins Pessoa, membro do Núcleo Permanente de Estudos do Sono da Sociedade Brasileira de Pediatria, pesquisas anteriores já associaram uma noite bem dormida com a produção de hormônios que interferem na sensação de saciedade: “O resultado não é uma surpresa. A qualidade do sono tem interferência no funcionamento geral do organismo”, pondera o pediatra, explicando que o tempo ideal de sono depende de cada faixa etária.

Ele diz que, no primeiro mês de vida, o bebê dorme de 16 a 18 horas por dia, intercaladamente. À medida que cresce, a criança vai dormindo menos, mas ainda pode precisar tirar algumas sonecas ao longo do dia. Até os 3 anos, é comum um cochilo diurno. Depois dessa idade, 75% das crianças não dormem mais de dia. Após os 5 anos, o esperado é que o sono noturno baste.

Para os pais que acham que pôr a criança para dormir é um desafio, o médico oferece uma palavra de incentivo e algumas dicas: “É mais fácil do que parece ensinar uma criança a dormir sozinha. O sono é um processo biológico afetado por fatores ambientais. É preciso controlar certos fatores e criar bons hábitos.”

 

Veja as orientações do especialista:

1. O ambiente do quarto deve ser bem escuro (iluminação apenas no chão para evitar quedas) e estar exposto a poucos ruídos. A temperatura deve ser agradável.

2. Bebês devem ser colocados na cama ou berço ainda sonolentos, porém acordados para que adormeçam sozinhos, sem balanços, carícias ou alimentação.

3. Crianças maiores devem realizar as atividades pré-sono (escovar os dentes, ouvir histórias e músicas, rezar) fora do quarto. Encerradas essas atividades de rotina, é hora de ouvir um “boa-noite” e ir para a cama.

4. Evite oferecer às crianças bebidas e alimentos que contenham cafeína após as 16h.

5. Cama é lugar de dormir. Nada de brincadeiras ou de castigos ali. A criança pode associar a cama a outras situações que podem prejudicar seu sono.