A terapia cognitivo-comportamental (TCC) tem sido amplamente usada no tratamento da obesidade em associação com outras intervenções, como o acompanhamento nutricional e a prática de atividade física. A TCC é uma terapia de duração breve e com sessões estruturadas nas quais o paciente é solicitado a colaborar ativamente na identificação e na mudança de seus comportamentos e sentimentos que contribuem para a obesidade.

Essa psicoterapia tem como base a compreensão de que a forma como interpretamos uma situação determina como nos sentimos e consequentemente nos comportamos em decorrência da mesma. E leva em conta que o modo de interpretar as situações está intimamente relacionado às vivências anteriores e às crenças que temos do mundo e de nós mesmos.

No tratamento da obesidade, a TCC usa registros alimentares (por exemplo: o que a criança comeu, quando comeu e em qual quantidade); técnicas de modificação dos hábitos alimentares (por exemplo: passar a comer na mesa com outras pessoas, escolha de alimentos saudáveis); estratégias para diminuir o contato com situações que promovam o consumo inadequado de alimentos (por exemplo: fazer refeições à mesa e não em frente à televisão); técnicas para incentivar a prática de exercícios (por exemplo: escolher uma atividade que agrada à criança); treinamento em solução de problemas (por exemplo: aprender a identificar fatores que dificultam a perda de peso e a adesão às recomendações dietéticas e como resolvê-los); mudanças cognitivas; e prevenção de recaídas.

Nessa abordagem, também serão avaliadas e treinadas habilidades sociais que auxiliem a criança e o adolescente na melhora de seu ambiente social e familiar. Isso ajudará em uma mudança da qualidade de interação com o ambiente, interpessoal e de hábitos.

Por se tratar de terapia com crianças e adolescentes, que ainda são dependentes do ambiente familiar, na TCC são realizados encontros com os pais e as pessoas próximas ao convívio dos pacientes para que possam ser orientados sobre mudanças de estilo de vida e sobre como auxiliar na promoção e na manutenção de novos hábitos. Os pais e familiares têm papel importante nesse processo.

*Adriana Fernandes C. Dáquer é terapeuta cognitivo-comportamental do Grupo de Obesidade e Transtornos Alimentares (Gota) - Ipub/ UFRJ