Pais, responsáveis, pediatras e demais profissionais de saúde contam com um novo recurso para a prevenção da obesidade. A Associação Brasileira para o Estudo da Obesidade e da Síndrome Metabólica (ABESO) lançou recentemente a publicação “Diretrizes Brasileiras de Obesidade 2016”. O manual tem capítulo especialmente dedicado ao diagnóstico e ao tratamento da obesidade na infância e na adolescência.

 

“O principal objetivo da ABESO é difundir a obesidade como uma doença grave, que precisa ser prevenida, diagnosticada e tratada precocemente”, diz a endocrinologista Cintia Cercato, presidente da associação. A proposta, segundo a médica, é passar informações científicas comprovadas de forma simples e direta, para fácil compreensão. O conteúdo completo para download do capítulo “Obesidade: diagnóstico e tratamento de crianças e adolescentes” estará em breve no site www.abeso.org.br

Confira dicas para prevenir a obesidade na infância

Procure o especialista: “Os pais dificilmente identificam a obesidade em seus filhos”, alerta Cintia. Daí a importância de levar a criança ao pediatra para as consultas de rotina. “Diagnosticar o problema é o primeiro passo para combatê-lo. O adolescente obeso corre grande risco de se tornar um adulto obeso”, completa a endocrinologista.

É essencial criar um ambiente saudável em casa. Crianças precisam de regras também na educação alimentar. Por exemplo: ter horário certo para as refeições e não comer em frente à TV são duas regrinhas básicas. O tempo em frente à TV, aos celulares e videogames sempre pode ser reduzido. Alguns tipos de jogos eletrônicos podem ser aliados, como, por exemplo, aqueles que estimulam movimentos e exercícios físicos. Mesmo assim deve-se limitar o tempo para esse tipo de brincadeira.

Incentive a alimentação saudável: Os pais devem servir de exemplo. Ensine às crianças a importância de uma alimentação balanceada, rica em frutas, legumes, verduras, cereais integrais e proteínas de boa qualidade, como, por exemplo, peixes e carnes magras. Opte sempre que possível por alimentos naturais e com menos açúcar, sal e gorduras. Na infância, o leite é fonte de proteína e cálcio e deve fazer parte de uma alimentação balanceada. Prefira iogurtes e queijos com menor teor de açúcar, sal e gorduras. Lembre-se que alimentos e bebidas açucarados levam ao excesso de peso e à formação de cáries. E ofereça água com frequência.

Tratamento: Na infância, o foco deve ser a melhora da alimentação e a orientação para hábitos saudáveis. As crianças devem brincar, fazendo atividade física por, pelo menos, uma hora por dia. No caso dos jovens, o tratamento, dependendo de cada caso, pode incluir, a partir de orientação médica, dietas restritivas, uso de medicamentos e até cirurgia para tratar a obesidade grave.