Está chegando um dos dias do ano que as crianças mais gostam: o domingo de Páscoa, também conhecido como “o dia de ganhar bombons e ovos de chocolate”. Verdadeiras tentações, há quem não resista ao impulso de comer tudo de uma vez só. Então, se você tem crianças de até 12 anos, cuidado redobrado para o prazer não virar um problema.

Em primeiro lugar, é bom não exagerar no tamanho da guloseima, assim fica mais fácil controlar a quantidade diária de chocolate que a criança poderá comer. A Sociedade Brasileira de Pediatria recomenda até 30 gramas por dia de açúcares e doces para quem tem de 1 a 12 anos de idade, e até 60 gramas para os adolescentes.

Você achou que uma criança de 1 ano está muito nova para comer doces? Muitos pediatras concordam. Para a pediatra e nutróloga Bruna de Siqueira Barros, do Comitê de Nutrologia da Sociedade de Pediatria do Estado do Rio de Janeiro (Soperj), o ideal é evitar a ingestão de chocolates e outras guloseimas antes de 2 anos. “A alimentação saudável é um dos pilares da prevenção do diabetes, das doenças cardiovasculares (que atacam o coração e os vasos sanguíneos), das dislipidemias (quando há níveis elevados de gordura no sangue) e do câncer. Atualmente, essas doenças estão entre as principais causas de morte no país e no mundo”, explica.

Sem contar os prejuízos em longo prazo, comer um ovo de Páscoa inteiro ou caixa de bombons em um dia pode fazer com que a criança vomite, tenha diarreia, dor e inchaço na barriga. Infelizmente, o tipo de chocolate mais saudável não costuma ser o que o paladar infantil mais gosta. Ele tem alto teor de cacau, 70% ou mais, e sabor amargo. Por que ele é o melhor? Tem menos açúcar e gordura. Por outro lado, o chocolate consumido com moderação faz bem. O cacau tem substâncias como vitaminas, minerais e nutrientes, assim como flavonoides antioxidantes, que protegem as artérias, por exemplo. E estudos mostram que chocolate na dose certa alivia a tensão e ajuda a reduzir a pressão. Portanto, você e sua família podem se deliciar com os chocolates – mas com prudência e equilíbrio.

Dicas para uma Páscoa mais saudável

- Ao comprar ovos e chocolates, veja se a embalagem está íntegra, sem furos ou amassada e traz no rótulo as informações obrigatórias: dados nutricionais, data de validade e fabricante, dentre outras.

- Os ovos, os bombons e as barras de chocolate devem ser armazenados em local fresco e arejado. Não deixe os chocolates sob incidência direta da luz solar ou em contato com a umidade.

- De modo geral, os ovos de Páscoa e os outros chocolates são preparados com muito açúcar e gorduras, substâncias que, em excesso, fazem mal à saúde e favorecem o ganho de peso. Alguns contêm recheios de gorduras trans. O consumo excessivo dessa gordura aumenta o colesterol total e colesterol ruim (o LDL) e reduz os níveis de colesterol bom (HDL). O ideal é consumir o mínimo de gorduras trans.

- Os ingredientes dos chocolates aparecem em ordem decrescente de quantidade. Prefira produtos com maior teor de cacau e menos açúcar.

- Evite deixar todos os ovos e chocolates à vista da criança.

- E já que no domingo tem chocolate à vontade, evite outras comidas gordurosas no almoço.

- No caso de crianças, os pais devem estar atentos à higiene bucal. Os altos teores de açúcares nos chocolates contribuem para formação de cáries.

- Chocolates com avelãs, castanhas e amêndoas são mais calóricos, mas essas sementes contêm gordura mais saudável. Mesmo assim coma com moderação.

Fontes: Ministério da Saúde e Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).