Quem vive num ambiente estressante tem mais probabilidades de engordar. Essa relação vale para adultos e crianças. Os pequenos, porém, são mais vulneráveis porque além de lidar com questões que lhes afetam diretamente - problemas na escola, por exemplo - ainda são capazes de captar a tensão dos pais. Especialistas aconselham que os adultos fiquem atentos ao comportamento de seus filhos e tentem, na medida do possível, preservá-los nos períodos de turbulência.

        Para a terapeuta cognitivo-comportamental Adriana Dáquer, do Grupo de Obesidade e Transtornos Alimentares do Instituto de Psiquiatria da Universidade Federal do Rio de Janeiro (Gota/Ipub/UFRJ), uma das razões para o ganho de peso em ambientes tensos é que, em geral, comida passa a ser um foco de relaxamento ou distração. Além disso, famílias que passam por momentos estressantes tendem a se desorganizar em relação à alimentação. “A ansiedade favorece um exagero no comer e uma busca por alimentos como uma forma de prazer”, explica ela, que a seguir dá algumas orientações a respeito do tema.

  

         O reflexo dos problemas dos adultos na saúde das crianças foi observado num trabalho apresentado recentemente no encontro da Obesity Society, em Los Angeles. Pesquisadores do Albert Einstein College of Medicine, em Nova York, acompanharam crianças de origem hispânica e latina e constataram que aquelas cujos pais tinham três ou mais fatores de estresse crônico, como problemas no trabalho ou no casamento, tinham o dobro de chances de desenvolver obesidade.