Num país onde todo mundo é ‘técnico da seleção de futebol’, não faltam verdades absolutas sobre as dietas – outra mania nacional. Cada um vira nutricionista e sabe dar dicas de dietas perfeitas e milagrosas. E ainda temos as dietas da moda, que sempre se renovam.

Porém, como diz o velho ditado, “seguro morreu de velho”. Por isso, vamos ver o que está certo e errado em algumas ideias muito populares sobre dietas e hábitos alimentares, com uma ajudinha do National Institutes of Health (NIH), a agência de saúde pública do governo dos Estados Unidos.

 

“Tirar os carboidratos da comida emagrece”

Não é verdade. Uma dieta sem carboidratos não é uma dieta com menos calorias. E eliminá-los completamente da alimentação pode causar vários problemas, como o aumento do colesterol e dos triglicerídios, elevação do risco de diabetes, prisão de ventre e dificuldades de digestão.

Há dois tipos de carboidratos:

▪ os simples, que têm poucas vitaminas, minerais e fibras. Estes devem ser consumidos com moderação. Estão presentes em alimentos como açúcar, pão francês, mel, doces, geleias, refrigerantes, leites e derivados, e até na pipoca.

▪ os complexos, que são muito importantes para o organismo e são ótimos para dietas de perda de peso, pois têm baixos teores calóricos e são ricos em fibras. Eles estão nos vegetais verdes e ricos em amido (batata, batata-doce, milho, abóbora); em grãos e alimentos integrais; e no feijão, nas lentilhas e nas ervilhas.

 

“Podemos comer alimentos de baixa gordura ou sem gordura à vontade”

Não. Alguns dos alimentos rotulados “sem gordura” têm açúcares, amido ou sal para compensar a pouca gordura. Muitas vezes, têm a mesma quantidade de calorias que o produto similar com gordura. O importante é procurar na etiqueta o nível de calorias de cada alimento e comparar.

 

“Não tomar café da manhã gera aumento de peso”

É verdade. Tomar um café da manhã saudável ajudará a reduzir o desejo de comer fora de hora ao longo do dia. Uma pesquisa da Universidade de Minnesota (EUA) com 2.200 adolescentes mostrou que quem consome o café da manhã mantém uma dieta saudável e é mais ativo fisicamente. Segundo a nutricionista Regina Maria Vilela, da Universidade Federal do Paraná (UFPR), um café da manhã saudável deve ter uma fruta, uma fonte de proteína (leite, ovo mexido, bebida de soja), outra fonte de carboidratos integrais (pão ou cereais) e um pouco de gordura, como a manteiga no pão. Mas sem exageros. Por outro lado, tomar apenas café ou comer doces logo pela manhã não é bom. A absorção do alimento muito doce é rápida e faz sentir fome logo. E o café, tomado sozinho, estimula a acidez no estômago.

 

“Comer de noite engorda”

Sim! É que de noite o metabolismo do corpo diminui, já que ele gasta menos energia quando diminuímos nossas atividades e quando dormimos. Mas não jantar tampouco é bom. O importante é que o jantar seja uma refeição leve, que facilite o trabalho do estômago.

 

“É impossível ter peso em excesso e ser saudável”

Mais ou menos. Há pessoas que, mesmo com peso acima do ideal, têm a pressão arterial,  o colesterol e o açúcar no sangue em níveis saudáveis. Porém, para a maioria, o excesso de peso eleva o risco de cardiopatias e diabetes. E quanto mais tempo a pessoa estiver acima do peso, maior o risco de apresentar enfermidades.

 

“Ficar em jejum ajuda a reduzir rapidamente o peso”

Não é verdade. Jejuar não é saudável: após passar um dia sem comer, você ficará com muita fome e acabará comendo mais, consumindo todas as calorias que deixou de comer durante o jejum. Na prática, as pessoas que fazem jejum perdem mais músculos do que gordura. Em vez de eliminar totalmente a comida, analise sua dieta diária e identifique as calorias ruins, como alimentos com altas taxas de gordura, grãos refinados (pão branco, macarrão preparado com farinha branca, arroz branco), bebidas muito calóricas (refrigerantes, sucos de frutas industrializados, energéticos). Essas, sim, podem ser eliminadas.

 

“Metas mais conservadoras são mais eficientes para baixar de peso”

Mais ou menos.  Não há duas pessoas iguais e por isso o que funciona para um nem sempre funciona para outro. Algumas pessoas conseguem reduzir o peso quando se impõem metas que as obrigam a se esforçar. Por outro lado, metas difíceis demais de serem alcançadas podem gerar frustrações. Reduzir peso é um processo. É preciso ver o que funciona, e o que não funciona, e ir adaptando seus esforços para efetivamente alcançar uma redução de peso.

 

“Perder peso lentamente é a única forma de emagrecer e manter-se no peso ideal”

Nem sempre. É fato que algumas pessoas que emagrecem muito em pouco tempo acabam por recuperar o peso perdido. Mas isso não vale para todos. Tampouco uma perda de peso muito lenta é a melhor opção para qualquer um. Cada caso é um caso. Se você está interessado em emagrecer de forma rápida, o melhor caminho é procurar a ajuda de um médico, para garantir que os nutrientes necessários a seu organismo estejam presentes na sua dieta. E evite as dietas da moda, que prometem resultados nem sempre realistas e muitas vezes não contêm o que seu organismo realmente precisa.