No Brasil, a principal refeição para um grande número de crianças é a merenda escolar. Daí a importância de oferecer a elas uma alimentação balanceada visando à promoção da saúde e à prevenção de doenças graves, como a obesidade infantil. Nesse sentido, o Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), órgão do Ministério da Educação, realizou pelo segundo ano consecutivo o concurso "Melhores Receitas da Alimentação Escolar", que valoriza o papel de merendeiros, merendeiras e nutricionistas no preparo de cardápios saborosos e saudáveis. Ao todo, foram duas mil inscrições, e o júri premiou cinco receitas, isto é, uma de cada região do país.

O concurso selecionou as receitas mais criativas e nutritivas e que levaram em conta os aspectos culturais de cada região. Na disputa nacional, foram apresentados 15 pratos com referências às tradições alimentares de todos os cantos do Brasil. E cada uma das merendeiras campeãs ganhou R$ 6 mil e uma viagem internacional ao Caribe. Os segundos e terceiros lugares receberam R$ 3 mil e R$ 1 mil, respectivamente.

“Essas merendeiras são importantíssimas, pois conseguem traduzir as regras e leis que o Governo Federal estabelece em refeições muito saborosas, como as que vimos. O papel da merendeira é, sem dúvida, essencial para o sucesso das políticas públicas de educação”, afirmou Silvio Pinheiro, presidente do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE).

Fizeram parte do júri: Marcelo Petrarca, chefe de cozinha; Mariana Rocha, representante do Centro de Excelência contra a Fome do Programa Mundial de Alimentos da ONU; Lorena Medeiros, do Conselho Regional de Nutrição em Brasília; Alda Oliveira, presidente do Conselho de Alimentação Escolar do Estado de Roraima; e Sofia Marinho, estudante do sexto ano do Centro de Ensino Fundamental (CEF) 104 Norte, em Brasília.

O investimento no Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE) fornece mais de 50 milhões de refeições por dia para 42 milhões de estudantes de todo o país. “Os repasses são feitos em dez parcelas mensais, para a cobertura de 200 dias letivos, de acordo com o número de matriculados em cada rede de ensino. Do valor total, no mínimo 30% devem ser utilizados na aquisição de gêneros alimentícios da agricultura familiar e do empreendedor familiar rural ou de suas organizações. A oferta de frutas e hortaliças é obrigatória e alguns alimentos comprovadamente nocivos à saúde estão proibidos. As nutricionistas são orientadas a oferecer uma alimentação saudável e adequada à realidade de cada comunidade e de cada estudante”, informa a assessoria do FNDE.

Veja quem foram os vencedores de cada região e aprenda as suas receitas

Norte – Maria Claudia Ferreira dos Santos, com o prato “Macarronada paraense”. Ela trabalha na Escola Municipal José Alves Cunha, em Belém, Pará.

Nordeste – Gilda Rosângela Cordeiro de Souza, com o tradicional “Caldo nordestino”, feito com carne de bode. Ela é da Escola Juazeiro, em Tacaratu, Pernambuco.

Centro-Oeste – Debora de Souza Leal Ribeiro, com o prato “Legumes ao creme de milho”, da Escola EM Irene Linda Zioli Crivelli, em Taquarussu, Mato Grosso do Sul.

Sudeste – Luciana Aparecida Pinheiro, com o prato “Arroz Minerim”, da Escola Municipal Interventor Noraldino Lima, em São Sebastião do Paraíso, Minas Gerais.

Sul – Daniela Fernanda Felizardo, com o prato “Polenteca”, da EMI Feliz da Vida, em Bento Gonçalves, Rio Grande do Sul.

 

Macarronada paraense

Ingredientes

500g de peito de frango

25ml de tucupi

15g de alfavaca

75g de jambu

500g de macarrão espaguete

45g de coentro em folha

45g de cebola

45g de chicória

75g de alho

30g de pimentão verde

15g de sal

15g de manjericão fresco

30g de urucum

45g de tomate-vermelho

300g de limão-tahiti

30g de berinjela

6 unidades de ovos de galinha

15g de beterraba

30g de cenoura

30g de óleo de soja

Tempo de preparo: 2 horas

Número de porções:        10

Modo de preparo

– Lave o filé de peito de frango com limão e tempere com sal, limão, alho, cebola, urucum, manjericão, pimentão, tomate, chicória, alfavaca e coentro.

– Leve o frango ao fogo na panela de pressão para refogar e cozinhe por quarenta minutos, desfie o frango na própria panela e acrescente o jambu cortado bem fino e leve novamente ao fogo por mais cinco minutos.