As crianças precisam de diversos nutrientes para se manter saudáveis, mas às vezes a hora das refeições é um dos momentos de maior estresse para os pais. Há aquelas que só querem comer um tipo de alimento, outras que fazem birra quando veem legumes e verduras no prato, ou simplesmente enrolam para comer. Atente-se às dicas da Academia Americana de Pediatria e da Sociedade Brasileira de Pediatria sobre como incentivar hábitos positivos e saudáveis à mesa aos seus filhos.

Seja um bom exemplo – Quando as crianças aprendem desde cedo a comer de forma saudável, elas farão boas escolhas na fase adulta. A primeira dica é que os pais sejam um bom exemplo em casa. Na medida do possível, deixe seu filho participar do planejamento das refeições da família. Por exemplo, peça ajuda para a lista de compras de alimentos; leve as crianças às feiras para que elas aprendam a conhecer frutas, verduras e legumes; leiam livros de receitas juntos; conversem sobre ingredientes, medidas. A cozinha, com segurança e supervisão de um adulto, deve ser um ambiente aberto à criança.

Mantenha uma rotina alimentar – Tente servir à criança refeições e lanches mais ou menos na mesma hora todos os dias.

Faça pelo menos uma refeição do dia em família – “Refeições regulares em família têm efeitos positivos no desenvolvimento infantil”, afirmam pediatras. Ao se criar o hábito do café da manhã, almoço e jantar juntos, o relacionamento em casa será melhor e as refeições passarão a ser vistas como momentos de integração e de transmissão de conhecimento, quando os filhos terão acesso a modelos de comportamento e à orientação sobre o que e como comer. Por exemplo, consumindo mais frutas, legumes e alimentos frescos em lugar de processados, enlatados e refrigerantes. Lembre-se de desligar televisão, tablets e deixar os celulares no modo silencioso.

Aconselhe seus filhos que é hora de comer com pelo menos cinco minutos de antecedência –Notificá-los cinco minutos antes lhes dará tempo para se acalmar, lavar as mãos e estar prontos para comer.

Estabeleça regrinhas para refeições – Crianças ansiosas, agitadas ou cansadas podem ter problemas para se acalmar e se sentar para comer. Exemplos: chegar à mesa com as mãos limpas, ajudar a preparar a mesa quando solicitada, não fazer comentários negativos sobre a comida servida ou o que os outros comem.

Seja paciente com recusas a alimentos – A recusa em experimentar novos alimentos e outros desafios relacionados à alimentação fazem parte do desenvolvimento. Não se preocupe se a criança pular uma refeição ou não comer os vegetais no prato. Ofereça diferentes alimentos saudáveis e nutritivos. Seja criativo! A variedade de cores, os alimentos com formas e dispostos no prato de maneira atraente motivam as crianças a provarem algo que de outro modo evitariam. Exposições repetidas aos alimentos, de forma divertida e educativa, são um caminho para superar essa barreira. Assim, não desanime com uma primeira reação negativa ao alimento. Ofereça-o em outra apresentação. Por exemplo: se o problema é com o espinafre numa salada, use-o como ingrediente de um refogado ou em uma omelete ou torta salgada. Pense também em lanches nutritivos para ajudar a corrigir maus hábitos nas refeições. Com o tempo, a criança terá tudo o que precisa para crescer e se desenvolver normalmente.

Não force seus filhos a comer – O objetivo da alimentação é a nutrição, não a utilize como recompensa ou punição. Em longo prazo, oferecer a comida como prêmio cria mais problemas do que soluções. As crianças costumam usar a mesa como um palco para demonstrar sua independência. Às vezes, a birra não tem nada a ver com comida. Lembre-se: criança com fome, come! Por isso, nunca substitua uma refeição por mamadeiras ou alimentos fora do contexto, como bolos, sanduíches, salgados, biscoitos e chocolates. Esses alimentos, além de não fornecerem todos os nutrientes, saciarão a fome da criança e prejudicarão seu apetite para a próxima refeição.

E se a criança quiser comer sempre a mesma coisa? – Certifique-se de que seu filho esteja com fome quando for hora de comer. Deixe a criança comer o que quiser, se a comida que preferir for saudável. Ofereça outros alimentos em cada refeição, antes do favorito. Mais uma vez, tenha paciência! Depois de alguns dias, seu filho provavelmente experimentará outros alimentos. Preferências para um único alimento raramente duram tanto a ponto de causar algum problema nutricional.

E quando seu filho se recusa a comer o que foi servido? – Incentive-o a comer o que puder. Evite que ele leve o prato da mesa para comer em outro lugar ou faça um lanche até o horário da próxima refeição.

Fontes: “Feeding Kids Right Isn’t Always Easy: Tips for Preventing Food Hassles” (American Academy of Pediatrics) e Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP).