O apetite para verduras e legumes pode ser despertado muito antes de eles chegarem ao prato. De pequenas hortas caseiras podem brotar os ingredientes que faltavampara uma refeição mais saudável. Ao botar a mão na massa - ou melhor, na terra - e cultivar suas próprias hortaliças, crianças e adolescentes aprendem a valorizar os alimentos frescos.

 Engenheiro agrônomo e consultor do Minha Horta, Marcelo Noronha dá aulas na Associação de Agricultura Orgânica de São Paulo para quem quer ter uma plantação. Ele afirma que mesmo em pequenos espaços é possível manter algumas espécies. E o mais bacana: as crianças podem – e devem – ser incluídas no cuidado das hortinhas.

“Cuidar de uma horta caseira é uma atividade lúdica. Ela é cheia de cores, texturas e cheiros. As crianças podem assumir tarefas como alertar para a presença de bichinhos e seus vestígios, como folhas comidas – ensina ele, que é pai de Alice, de 7, e de Gabriel, de 4. Em pequenos espaços, o melhor é cultivar temperos e verduras de ciclo curto. Assim, a hortinha se torna viável e sustentável e as crianças realmente vão poder levar os alimentos para a mesa”.

Ele acrescenta que uma horta precisa de cuidados e atenção diários:

“A gente só aprende colocando a mão na terra e mexendo com as plantas”, afirma.

 Se animou? Saiba como plantar essa sementinha na sua família.