Durante muito tempo acreditou-se que adolescentes e academia não era uma boa combinação. A ideia de que esse tipo de exercício envolve a superação de limites e levantar excesso de pesos parecia uma má ideia para quem ainda está desenvolvendo o corpo.

Mas não é assim que funciona. Com a correta orientação e acompanhamento médico, a academia pode ser uma boa opção não só para adolescentes, mas até aqueles que ainda estão na fase pré-púbere.

Segundo informações divulgadas pela Organização Mundial da Saúde (OMS), o número de crianças e adolescentes com taxas de obesidade cresceu mais de 10 vezes nas últimas quatro décadas - e, para impedir que esse quadro continue evoluindo, a atividade física é um dos maiores aliados.

O segredo é o equilíbrio
Existem muitos tipos de musculação - desde os treinos de hipertrofia (muita carga e pouca repetição) até os que utilizam apenas o peso do próprio corpo. Para os mais jovens, o indicado é seguir a segunda opção, pelo menos no início.

Pelo fato de o corpo dos jovens estar em fase de desenvolvimento, é preciso muita atenção com a postura e com o peso levantado. Quando o exercício é feito maneira errada ou com muita carga, lesões podem acontecer - e, dependendo da frequência e região, o crescimento da criança pode ser afetado.

Por isso, é preciso garantir que o adolescente dominou a técnica dos aparelhos antes de adicionar qualquer tipo de peso - e, ao chegar lá, não ultrapassar de 40% a 50% da sua força. Além disso, as práticas aeróbicas são muito benéficas e não devem ficar de fora, assim como as consultas pediátricas (que devem ocorrer de forma constante e não somente antes de iniciar a prática).

Os benefícios de ser um jovem ativo
A principal vantagem de iniciar a prática regular de exercícios físicos é o controle do sobrepeso e obesidade em crianças e adolescentes. Mas os benefícios vão muito além: o desenvolvimento da coordenação motora e o fortalecimento dos ossos são alguns exemplos, diminuindo casos de lesões e as chances de desenvolver osteoporose futuramente.

Outra vantagem é no combate à diabetes. Quando os músculos estão bem condicionados, a insulina, responsável por diminuir o nível de açúcar no sangue, trabalha melhor no corpo.

Mas fique atento: é importante garantir que o jovem está indo à academia pelo bem-estar, saúde e diversão. Não são raros os casos de adolescentes que possuem uma imagem distorcida do próprio corpo e buscam padrões inalcançáveis. Por isso, a ida a academia não deve ser uma forma de reforçar essa cobrança estética, mas um estímulo para manter o jovem ativo e atento à sua saúde.