Um estudo recém-publicado na revista científica “Pediatrics”, da Academia Americana de Pediatria, revelou que há um aumento no consumo de bebidas esportivas por crianças e adolescentes. Entre as crianças entrevistadas, 57,6% relataram o consumo desse tipo de bebida na semana anterior à pesquisa. Com fórmula à base de carboidratos (açúcares, glicose e frutose) e vitaminas, além de minerais, como cálcio, potássio, fósforo e sódio, elas servem para repor líquidos e sais perdidos durante a transpiração excessiva. Contudo, seu consumo inadequado contribui para o desenvolvimento da obesidade, além de outros problemas, como cáries dentárias e agravamento de doenças, como hipertensão e diabetes. Veja o que dizem pediatras a respeito dessas bebidas.

 

Basta água – Para a pediatra e Presidente do Comitê de Nutrologia da Sociedade de Pediatria do Estado do Rio de Janeiro (SOPERJ), Monica Moretzsohn, crianças jamais devem consumir este tipo de bebida (esportivas e energéticas) e os adolescentes devem fazê-lo apenas sob recomendação médica. “Estas bebidas têm o objetivo de repor as perdas de água e eletrólitos após atividade intensa. Portanto, não devem ser consumidas como água ou suco”, explica a médica, destacando que em atividades físicas com duração menor que uma hora, água é o suficiente para hidratar. O estudo também mostra que há aumento do uso dessas bebidas por adolescentes que permanecem mais de duas horas em frente às telas. “A criança que ingere esse tipo de bebida regularmente e não faz atividade física regularmente corre um grande risco de engordar, pois elas são fonte de carboidratos (açúcar), não só de vitaminas e minerais”, comenta. As bebidas esportivas não saciam. E algumas contêm muito sódio.

Cuidado também com as energéticas – As bebidas energéticas têm fórmula semelhante à da esportiva e ainda estimulantes, como cafeína, guaraná e taurina. Agem como estimulantes e podem ter efeitos nocivos nos sistemas nervoso e cardiovascular de crianças e adolescentes. A pediatra Marcie Beth Schneider, do Comitê de Nutrição da Academia Americana de Pediatria (AAP), diz que há muita confusão sobre bebidas esportivas e energéticas, e que a maioria dos adolescentes não sabe a diferença entre as duas. “Crianças e adolescentes estão usando bebidas energéticas que contêm grandes quantidades de cafeína, quando o que querem é simplesmente se reidratar após o exercício. Isso significa que estão ingerindo muito estimulante, um hábito perigoso para eles”. Alguns desses produtos contêm mais de 500mg de cafeína, o que equivale a 14 latinhas de refrigerante. 

Apenas em casos específicos – A pediatra Holly J. Benjamin, do Comitê Executivo do Conselho para a Medicina do Desporte e Estado Físico da AAP, menciona que as bebidas esportivas podem ajudar a jovens atletas que participam de atividades físicas intensas por tempo prolongado, mas a maioria das crianças e dos adolescentes não precisa delas. “Beber água é a melhor escolha, antes, durante e depois da atividade”, aconselha Holly.