A explicação para aquele adulto que não gosta tanto de comer verduras e vegetais pode estar na infância. É que o gosto alimentar que as crianças de até dois anos adquirem pode durar por toda a vida - e, por isso, é tão importante garantir uma alimentação saudável. Para ajudar, o Obesidade Infantil Não separou 10 dicas essenciais para os pais incluírem na rotina dos pequenos.



1) Durante os primeiros seis meses, não é preciso marcar horários para amamentar - respeitar a rotina e os pedidos do bebê traz mais resultados. Mas lembre-se: o leite que sai primeiro tem mais água e o que sai no final, mais sustância. Por isso, caso o pequeno não esvazie as duas mamas, comece a próxima mamada pelo peito que a criança mamou por último.

2) Nada de açúcar até os dois anos! Incluir o mel, melado ou açúcar na dieta infantil deixa o bebê exposto: o mel precisa ser evitado durante o primeiro ano de vida porque pode conter bactérias perigosas; e o açúcar, no geral, pode deixar o pequeno agitado, além de causar cáries.

3) A partir dos seis meses, a alimentação da criança deve ser composta por arroz, feijões, raízes, verduras, legumes, carnes, ovos e frutas - mas é importante continuar amamentando até os 2 anos. Comece oferecendo apenas almoço e café da manhã com frutas e, após os sete meses, já é indicado incluir também o jantar. 

4) Aos 12 meses, o bebê tem que comer em cada refeição pelo menos 10 colheres de comida para garantir a energia e vitaminas necessárias. Para ajudar, espere a criança estar com fome para oferecer a refeição - geralmente, duas horas sem comer ou beber são suficientes.

5) A mastigação fortalece os músculos da face, ajuda a formação dos dentes e facilita a aceitação à outras comidas. Por isso, nada de caldos, sopas ralas ou triturar alimentos no liquidificador. Desfiar carnes e deixar os alimentos bem cozidos é suficiente, assim a criança consegue identificar a consistência das comidas, suas cores e sabores.

6) Um carboidrato, uma proteína e uma verdura, preparados com pouco sal, gordura, açúcar ou corantes: essa é a regra-base para montar refeições saudáveis para a criança.

7) Variar os vegetais, legumes e frutas e dar prioridade para pratos coloridos ajudam a aceitação do bebê ao novo alimento - e, caso ele não goste de primeira, não tem problema. Basta fazer uma nova tentativa outro dia.

8) Frituras, doces, biscoitos, refrigerantes ou gelatinas não devem ser oferecidos até os primeiros dois anos. Esses alimentos atrapalham o consumo de opções nutritivas, como verduras e frutas.

9) Bebê ativo é criança saudável. Levar para passear e estimular brincadeiras que exigem movimento ajudam o pequeno a se exercitar - a televisão, inclusive, deve ser evitada até os dois anos para não influenciar negativamente o desenvolvimento cerebral do da criança.

10) Por último, mas não menos importante, criança acima do peso não é criança saudável! A obesidade infantil é um grande problema atual e os bebês acima do peso têm mais chance de serem afetados por essa condição na idade adulta.