Rio de Janeiro, RJ (26 de janeiro de 2016) – Por meio de uma campanha produzida pela Artplan, a Amil inicia a nova fase do seu movimento Obesidade Infantil NÃO, que, desde 2014, tem alertado milhares de brasileiros sobre a doença que atinge uma em cada três crianças no Brasil, segundo dados do Ministério da Saúde. Com o mote “Eu Digo Não”, a campanha deste ano visa alertar os pais para uma tarefa nada fácil na arte de educar: impor limites aos pequenos quando querem comer ou beber algo que foi proibido ou negado.

Para sensibilizar os pais, a Artplan produziu, para as redes sociais da empresa, um minidocumentário que traz personagens e histórias reais. No vídeo, crianças são gravadas contando suas mais criativas e ousadas artimanhas para convencer os adultos a deixá-las comer o que desejam. Em seguida, os pais assistem à gravação e, comovidos, revelam para as câmeras situações que acontecem em casa e a dificuldade para impor limite àqueles que mais amam.

Ainda no vídeo, ao serem questionadas por uma nutricionista se já ouviram falar em doenças como diabetes e hipertensão, as crianças mostram total desconhecimento. Após dadas explicações sobre o risco das doenças relacionadas ao excesso de peso, os meninos e as meninas se mostram espantados, mas insistem que seguirão fazendo birra caso os pais não cedam aos seus desejos por guloseimas. O vídeo é encerrado destacando, como mensagem principal, a importância da mudança de atitudes, que deve começar com os pais.

A campanha também tem extensão para TV, com dois filmes (de 15” e 30”) no ar desde o último domingo (24/1), que também exploram as artimanhas das crianças para driblar os limites dos pais, além de mídia exterior e peças em mídia impressa. Nos próximos meses, uma série de seis vídeos, com orientações da mestra em Educação Tania Zagury, também será disponibilizada no site oficial do projeto (www.obesidadeinfantilnao.com.br). A especialista, autora de livros como Limites sem Trauma e Educar sem Culpa, dará dicas aos pais sobre como criar limite aos filhos na questão alimentar, mostrando a importância da prevenção e do combate à obesidade infantil. A conversa sobre o movimento nas redes sociais segue com lançamento da página no Facebook (facebook.com/obesidadeinfantilnao) e do perfil no Twitter (@ObesidadeNao).

A diretora de Sustentabilidade da Amil, Odete Freitas, explica como as fases da campanha se integraram ao longo dos anos: “A Amil, como empresa de saúde, convocou a sociedade para lutar contra a obesidade desde a raiz. Foi com esse pensamento que iniciamos, em 2014, o movimento Obesidade Infantil NÃO. No primeiro ano, o objetivo foi alertar as pessoas sobre a existência desse problema. Em 2015, chamamos atenção sobre a importância do bom exemplo dos pais para a correta alimentação dos filhos. Agora, nesta nova fase do movimento, nossa intenção é mostrar que, muitas vezes, as crianças usam de artifícios para que os pais as deixem comer o que desejam. Mas a decisão é responsabilidade dos adultos.”

“A Amil lançou o movimento contra a obesidade infantil já há três anos e a Artplan abraçou a causa. Acreditamos que, mais do que comunicar um movimento importante como esse, é fundamental trazer informações pertinentes e fomentar discussões relevantes para a sociedade. Os dados sobre a obesidade infantil no Brasil têm revelado seu rápido crescimento, e a melhor forma de combater esse cenário é fornecendo orientação aos pais. Por isso, planejamos toda a comunicação da campanha nesse sentido”, diz Rodolfo Medina, presidente da Artplan.

Movimento Obesidade Infantil NÃO

O movimento contra a obesidade infantil da Amil teve início em 2014, com toda a comunicação elaborada pela Artplan. A agência criou o site da campanha, que traz matérias e artigos sobre nutrição e saúde, além de cartilhas e guias do Ministério da Saúde. Em 2015, o vídeo Desenhos da Verdade, que desafiava crianças a desenharem alimentos saudáveis, teve mais de 400 mil visualizações no YouTube.